Brasileirão 2017 em números: equilibrado ou fraco?

leiaeopine Esporte

Por Gabriel Duque

Quase toda temporada, ao terminar o Campeonato Brasileiro, paramos para discutir a qualidade do futebol apresentado no que deveria ser o melhor torneio do país.

A pergunta sempre termina com as alternativas: foi equilibrado e competitivo com bons jogos, times e desempenhos ou foi fraco tecnicamente, muitas vezes chato e irritante com tantos erros.

Apesar de sua frieza, os números podem ajudar a desvendar o mistério.

Neste ano, tivemos o melhor lanterna, o que mostra o Brasileirão equilibrado, mas de nível aquém das expectativas.

Ainda houve o pior ganhador de um turno, o segundo pior vice-campeão dos pontos corridos e um campeão para lá de contestado.

Atlético-GO: o melhor lanterna

Apesar de rebaixado e de ficar na última colocação do Brasileirão, o Atlético-GO conseguiu o feito de se tornar o melhor lanterna da história dos pontos corridos. A contagem vale desde 2006 quando o torneio passou a ter 20 times.

O Dragão terminou com 36 pontos e superou o Ipatinga de 2008, que havia somado 35 pontos. A campanha do time goianiense teve apenas 12 pontos no turno inicial e a reação de 24 pontos no returno. Na média, a campanha ficou em 31% de aproveitamento.

Veja todos os lanternas:

2006 – Santa Cruz – 28 pontos
2007 – América-RN – 17 pontos – pior lanterna
2008 – Ipatinga – 35 pontos
2009 – Sport – 31 pontos
2010 – Grêmio Prudente – 28 pontos
2011 – Avaí – 31 pontos
2012 – Figueirense – 30 pontos
2013 – Náutico – 20 pontos
2014 – Criciúma – 32 pontos
2015 – Joinville – 31 pontos
2016 – América-MG – 28 pontos
2017 – Atlético-GO – 36 pontos – melhor lanterna

Campeã do segundo turno: Chapecoense

O título simbólico do returno ficou com a Chapecoense. Em 19 partidas, o time catarinense fez 32 pontos em 54 possíveis, com 9 vitórias, 5 empates e 5 derrotas. A equipe conquistou o Troféu João Saldanha de melhor campanha do 2° turno, ao vencer o Coritiba na última rodada e assim também se garantir na Libertadores de 2018.

O Vasco foi o 2° colocado do returno com a mesma pontuação da Chape. Palmeiras, Atlético-MG e São Paulo completaram o top 5, com 31 pontos cada. Campeão nacional neste ano, o Corinthians teve grande queda de rendimento no turno final e terminou em 12°, com 25 pontos.

Mesmo com o desempenho abaixo no returno, o Timão levou o Troféu Osmar Santos de campeão do primeiro turno, com 47 de 54 pontos e aproveitamento de 82,5%.

Palmeiras: segundo pior vice-campeão

Ninguém conseguiu perseguir o campeão Corinthians de verdade neste ano. O Palmeiras tentou ser uma ameaça, mas quando chegou a hora de pressionar o rival empatou com o Cruzeiro, perdeu do próprio Alvinegro e viu a diferença disparar.

Campeão em 2016, o Verdão teve que se contentar com o vice nesta temporada. Foram 63 pontos e aproveitamento de 55,26%, com 19 vitórias, 6 empates e 13 derrotas. Foi o segundo pior desempenho de um vice-campeão da história dos pontos corridos.

Apenas o Santos em 2007 teve rendimento mais fraco, com 62 pontos e 54,38% de aproveitamento.

Corinthians: campeão com um dos piores números

O Brasileirão de pontos corridos chegou este ano a 15 edições e, entre os campeões, o Corinthians de 2017 está entre os de pior de desempenho. É apenas o 11° colocado no ranking dos campeões, com 72 pontos e 63,15% de aproveitamento, acumulando 21 vitórias, 9 empates e 8 derrotas.

O clube paulista só fica à frente dele próprio na campanha de 2011, do Fluminense de 2010 e do Flamengo de 2009, dono do pior aproveitamento.

2003 – Cruzeiro – 100 pontos – 72% de aproveitamento (24 times)

2004 – Santos – 89 pontos – 64,5% de aproveitamento (24 times)

2005 – Corinthians – 81 pontos – 64,3% de aproveitamento (22 times)

2006 – São Paulo – 78 pontos – 68,4% de aproveitamento

2007 – São Paulo – 77 pontos – 67,5% de aproveitamento

2008 – São Paulo – 75 pontos – 65,8% de aproveitamento

2009 – Flamengo – 67 pontos – 58,8% de aproveitamento – pior campeão

2010 – Fluminense – 71 pontos – 62,3% de aproveitamento

2011 – Corinthians – 71 pontos – 62,3% de aproveitamento

2012 – Fluminense – 77 pontos – 67,5% de aproveitamento

2013 – Cruzeiro – 76 pontos – 66,7% de aproveitamento

2014 – Cruzeiro – 80 pontos – 70,2% de aproveitamento

2015 – Corinthians – 81 pontos – 71% de aproveitamento

2016 – Palmeiras – 80 pontos – 70,2% de aproveitamento

2017 – Corinthians – 72 pontos – 63,15% de aproveitamento

leiaeopineBrasileirão 2017 em números: equilibrado ou fraco?