Crônica: Um sonho de viagem

leiaeopine Contos e Crônicas

Hoje é dia de crônica no Leia e Opine.

A noite havia sido longa na casa de Marilda. José, seu caçula, de pouco mais de 5 meses não dormiu um minuto sequer. As cólicas de recém-nascido tiravam o sono do pequeno e o sossego da mãe.

Marilda havia acabado de retornar ao trabalho após a licença maternidade. Era camareira em um hotel na região da avenida Paulista. Não podia abrir mão do salário, pois além de José, era mãe de João e de Maria.

A rotina de Marilda era extenuante. Acordava das 4h da manhã para arrumar as coisas das crianças que ficavam em casa aos cuidados de Glória, uma vizinha que a ajudava com os pequenos enquanto trabalhava.

Às 5h já estava no ponto de ônibus à espera da condução que a levaria ao metrô. Seu horário de entrada no trabalho era às 8h, mas precisava madrugar para não chegar atrasada.

Depois de mais de 1 hora em pé no ônibus, Marilda finalmente chegou à estação. Após passar a catraca, percebeu que havia algo diferente dos outros dias. A plataforma não estava cheia como sempre e eis que no fim do túnel apareceu um trem vazio.

A alegria de Marilda era visível. Há quase um ano no emprego novo, pela primeira vez teria a oportunidade de ir sentada para o trabalho. O trem chegou e com ele a chance de fechar os olhos e descansar por alguns minutos.

Como mãe, dona de casa e camareira, Marilda simplesmente não descansava. Mas, seu corpo já não aguentava mais e aqueles poucos minutos sentada foram suficientes para que pegasse no sono. Uma dormida profunda e relaxante. Por algum tempo, todos os seus problemas foram esquecidos.

Até que o som do trem tocou mais forte. Era a estação em que Marilda deveria descer para fazer a baldeação de linha. Ao abrir os olhos de seu sono profundo, nossa personagem viu as portas do metrô se fechando.

Naquele momento, Marilda teve um rompante e saiu em disparada. Mas, já era tarde. Precisaria esperar a próxima estação chegar para fazer o caminho de volta. Apesar do susto, a mãe/dona de casa/camareira tinha em seu rosto um sorriso. Por um momento, seu sonho se transformara em realidade.

 

leiaeopineCrônica: Um sonho de viagem